Filipa Sanguedo - Uma prova cheia de pequenos azares

O Rali Cidade de Guimarães marcou a estreia de Filipa Sanguedo em provas do Open. Depois de Ralis de pequena extensão, foi agora a vez de uma prova com mais quilómetros, na qual a jovem estudante de economia, foi acompanhada por Filipe Fernandes, o conhecido "Fifé".

Mas, esta estreia em Ralis de maior envergadura, ficou marcada por vários azares.
Primeiro, e logo à partida, o sistema de intercomunicação deixou de funcionar. A Filipa não conseguia ouvir o Fifé, e vice-versa. A comunicação, quase que passou a ser só feita por gestos.
Depois, e como se o azar ainda não chegasse, saiu a vareta do óleo e este começou a saltar sobre os coletores de escape. Muito fumo, uma paragem para ver o que se passava e mais um azar. Além de muitos minutos perdidos.
O que deveria ser uma diversão, passou a ser uma tormenta, pois a seguir, houve problemas com a direção do Peugeot 306, carro que tão bem se tinha "portado" nos testes anteriores a esta jornada.
"Esta foi a prova com maior quilometragem que fiz até ao momento. Gosto dos Ralis, mas este fica marcado por vário azares, que retiraram todoo prazer da condução. Deixou de ser uma diversão. Tanto eu como o Fifé, fizemos uma grade esforço para chegar ao final". Confessou Filipa Sanguedo, completando de seguida. Não era um Rali fácil, até pelas condições atmosféricas que se fizeram sentir. Mas, sem conseguir ouvir o Fifé, e as notas que ele ditava, ainda foi muito mais difícil".
Quanto às próximas participações, nada está ainda definido. Filipa Sanguedo deverá participar em mais algumas provas, nomeadamente Ralis e Ralicross, mas sem ainda se saber quais serão.