Acidente nos treinos condicionou o resto da prova

Não correu da melhor forma, a participação da dupla Bernardo Maia/Gonçalo Rodrigues, no Circuito da Boavista. Um acidente na primeira sessão de treinos, com Gonçalo Rodrigues a pilotar o Fiat Punto, logo nas voltas iniciais, viria a condicionar todo o resto da prova.


Bernardo Maia já não faria a sua sessão de treinos e face ao estado em que o Fiat Punto ficou, chegou-se a ponderar não continuar em prova. Mas, assim não aconteceu.
Depois de uma noite de muito e árduo trabalho, conseguiu-se pôr o carro a andar, mas longe das condições ideais.
Porque era o Circuito de Boavista e porque correr nele era o sonho dos dois pilotos - Bernardo Maia e Gonçalo Rodrigues - os dois lá alinharam e conseguiram os resultados possíveis. Se calhar, até mais do que possíveis, face às condições em que o Fiat Punto se encontrava.
Quanto ao lugar na grelha de partida, foi da 17ª. linha que partiram, entre as mais de quatro dezenas de equipas presentes.
Na primeira corrida, foram recuperados 11 lugares, face à grelha de partida, tendo o Punto nº 217 terminado no 22º lugar. Uma boa prestação, face ao estado em que o carro de encontrava.
Já na segunda corrida, também disputada no sábado, a classificação foi um pouco mais abaixo, na tabela classificativa. O Fiat terminou na 32º posição, 13º entre os Punto. Uma classificação que dificilmente poderia ser melhor, pois a grande maioria das voltas foram dadas com a presença do "pace-car" em pista.
Num circuito onde o mínimo erro pode trazer graves consequências, como aconteceu nos treinos, bem terá de se afirmar que foram estes que condicionaram toda a restante prova. Também terá de se referir que, não assim tivesse acontecido, e as classificações nas duas corridas seriam, seguramente, em lugares bem mais cimeiros.